Translate

29 de março de 2013

PINTURAS RELIGIOSAS DA PAIXÃO DE CRISTO - FLAGELAÇÃO - COROAÇÃO - A VIA SACRA - CRUCIFICAÇÃO - DESCIDA DA CRUZ





ARTE E RELIGIÃO

A ARTE NA PAIXÃO DE CRISTO






Paixão e Morte de Cristo em Pinturas


"A Descida da Cruz" - Jacopo Pontormo
Pintor italiano do período do maneirismo (1494-1557)


"A Descida da Cruz" (Detalhe) - Jacopo Pontormo

A Descida da Cruz é um retábulo da Deposição de Cristo do pintor italiano Jacopo Pontormo, concluído em 1528. Pintado em óleo sobre madeira, está localizado acima do altar da Capela Capponi da igreja de Santa Felicita, em Florença.
"A Descida da Cruz" (Detalhe)



Música: "Paixão" S. Mateus -BWV 244 - Bach
Compositor barroco alemão (1685-1750)






Cenas da Paixão de Cristo


Arquivo: Gustave Doré - Crucificação de Jesus.jpg
Gustave Doré
Pintor e ilustrador gravurista francês (1832-1883)


ORIGEM DOS TERMOS "PAIXÃO CRISTÃ" E "AGONIA"

"Paixão é o termo teológico cristão utilizado para descrever os eventos e os sofrimentos - físicos, espirituais e mentais - de Jesus nas horas que antecederam seu julgamento e sua execução através da crucifixão. A crucificação de Jesus, é um evento central às crenças cristãs.
As origens etimológicas da palavra estão no verbo grego paschō, 'sofrer', encontrado em passagens biblicas no evangelho de Matheus, 17:12 e Atos, 1:3. O termo latino 'passio' é usado para se referir ao sofrimento mortal de Cristo da Vulgata (edição escrita para a divulgação popular). O termo volta a aparecer no século II em textos cristãos para descrever precisamente as dores e o sofrimento de Jesus neste contexto. O termo "paixão", que se originou do latim 'passio', acabou evoluindo para indicar outro significado mais abrangente.
O termo 'Agonia de Jesus' é usado de maneira mais específica, para se referir à 'Agonia no Jardim', a ação (grego: agon) de Jesus de orar, antes de ser preso, no Jardim de Getsêmani; de maneira semelhante a 'paixão', a palavra 'agonia' acabou por evoluir e indicar um determinado estado de espírito.
Os trechos dos quatro Evangelhos que descrevem estes eventos são conhecidos como as 'narrativas da Paixão'. O Evangelho de Pedro, não-canônico, também é uma 'narrativa da Paixão'.
No calendário litúrgico a Paixão é comemorada na Semana Santa, que se inicia no Domingo de Ramos e termina no Sábado de Aleluia".



A VIA SACRA OU VIA CRUCIS

A Via Sacra ou Estações da Cruz
(ou Caminho da Cruz , em latim , Via Crucis , também chamada de Via Dolorosa)
tem uma série de representações artísticas,
representando Cristo carregando a cruz para sua crucificação
nas horas finais (ou paixão) antes de morrer. 

"A grande maioria das igrejas católicas contêm uma série das estações em quadros,
geralmente colocados em intervalos ao longo das paredes laterais da nave das igrejas.
São placas com relevos ou pinturas.
A tradição com a devoção dentro das igrejas começou com São Francisco de Assis e se estendeu por toda a Igreja Católica Romana, no período medieval. É comumente observado também no luteranismo, entre a ala anglo-católica do anglicanismo.
 A Via Crucis pode ser feita a qualquer momento, mas é mais comum durante o período da Quaresma , especialmente na Sexta-feira Santa e nas noites das sexta-feiras durante a Quaresma".


Música: "Via Crucis" - Franz Liszt
Compositor e pianista alemão (1811-1886)




As 14 Estações Tradicionais



VIA SACRA: Estações

São as 14 cenas:
1-Jesus é condenado à morte
2- Jesus carrega a sua cruz
3- Jesus cai pela primeira vez
4- Jesus encontra sua mãe
5- Simon ou Simão de Cirene ajuda Jesus a carregar a cruz
6- Verônica enxuga o rosto de Jesus
7- Jesus cai pela segunda vez
8- Jesus encontra as mulheres de Jerusalém
9- Jesus cai pela terceira vez
10- As roupas de Jesus são levados
11- Crucificação : Jesus é pregado na cruz
12- Jesus morre na cruz
13- Jesus é descido da cruz ( Deposição ou lamentação )
14- Jesus é colocado no sepulcro .




Jerusalém em Cenas da Paixão de Cristo

"Cenas da Paixão de Cristo" - Hans Memling
Pintor flamengo (c. 1433-1494)




FLAGELAÇÃO E COROAÇÃO DE CRISTO


Ficheiro:Caravaggio flagellation.jpg
"Flagelação" - Caravaggio
Pintor barroco italiano (1571-1610)

Arquivo: Flagelação de-cristo-Rubens.jpg
"Flagelação de Cristo" - Peter Paul Rubens
Pintor flamengo (1577-1640)


"Cristo Coroado de Espinhos" - Matthias Stom
Pintor holandês (c. 1615-1650)


Ficheiro:Christ Carrying the Cross 1580.jpg
El Greco
Pintor maneirista grego (1541-1614)


"Cristo Carregando a Cruz" - Giovanni Battista Tiepolo
Pintor italiano barroco (1696-1770)



Cristo Crucificado no Calvário (Gólgota)

Calvário (em aramaico Gólgota) é o nome dado à colina que na época de Cristo ficava fora da cidade de Jerusalém, onde Jesus foi crucificado.
Arquivo: Master of Delft - O Painel Crucificação-Central - Google Art Project.jpg
Mestre de Delft
Pintor holandês (c.1490-1520)


Fra Angelico
Pintor pré-renascentista italiano (c.1395-1455)



História: a Crucificação nas Artes

A Crucificação e os crucifixos têm aparecido nas artes
e na cultura popular antes da era pagã do Império Romano.
 A crucificação de Jesus foi representado na arte religiosa desde o século 4 dC.
Em tempos mais modernos, a crucificação de Cristo já apareceu no cinema e na televisão, assim como na arte, e representações de outras crucificações históricas.

As primeiras representações artísticas conhecidas da crucificação são anteriores à era cristã, incluindo representações gregas míticas de crucificações inspirados pelo uso da punição pelos persas.




Acima a crucificação de 'Orpheos Bakkikos'. Este selo hematita, gravação numa pequena pedra, é considerado por alguns a data do início da era cristã e reflete aos antigos temas gregos. Outros o consideram uma falsificação moderna. Anteriormente alojados no Altes Museum, em Berlim, que foi perdido ou destruído durante a Segunda Guerra Mundial.
Arquivo: Meister des Rabula-Evangeliums 002.jpg
A primeira crucificação em um manuscrito iluminado,
a partir do siríaco Rábula Evangelhos, 586 CE


Arquivo: Meister der Schule von Nowgorod 002.jpg
Representação da crucificação da igreja Ortodoxa Russa - Ícone

File:Christ-on-the-cross- Fra Carnev.jpg
Fra Carnevale
Pintor italiano (c. 1425-1494)

Andrea del Castagno
Pintor italiano (1421-1457)

Andrea da Firenze
Pintor italiano (c.1346-1379)


Bernini
Pintor barroco italiano (1598-1680)

Carl Heinrich Bloch
Pintor dinamarquês (1834-1890)

"Gólgota - Calvário" - Golvert Flinck
Pintor (1615-1660)

Arquivo: SVouet.jpg
Simon Vouet
Pintor francês (1590-1649)



Arquivo: Cristo en la Cruz (Goya) jpg.
Francisco de Goya
Pintor e gravurista espanhol (1746-1828)


Matthias Grunewald
Pintor renascentista alemão (c.1470-1528)

(Detalhe da pintura acima) - Matthias Grunewald
Pintor renascentista alemão (c.1470-1528)


(detalhe)



A Crucificação 3 (detalhe) - Matthias Grünewald











Música: "A Paixão de Cristo" - John Debney
Compositor norte-americano contemporâneo
Imagens do filme "A Paixão de Cristo"
"The Passion" - filme do diretor australiano Mel Gibson





A Descida da Cruz e Lamentação

Pietro Lorenzetti
Pintor italiano (c.1280-1348)

Arquivo: La descente de croix Rubens.jpg
Peter Paul Rubens
Pintor barroco flamengo (1577-1640)



"Descida da Cruz" - Rembrandt
Pintor barroco holandês (1606-1669)




"Depositação da Cruz" - Rogier van der Weyden
Pintor gótico flamengo (1400-1474)

Rogier van der Weyden. Deposition. The Virgin Mary. Detail.
"Maria" (Detalhe da Pintura acima ) "Deposição da Cruz"
Rogier van der Weyden
Pintor gótico flamengo (1400-1474)

"Mulher Chorando" (Detalhe da Pintura acima) "Deposição da Cruz"
Rogier van der Weyden - Pintor gótico flamengo (1400-1474)


"Lamentação" - Giotto
Pintor pré-renascentista italiano (1266-1337)


Arquivo: envolvimento de Jesus - g.battista.JPG
"Jesus Colocado no Sudário" -Giovanni Battista della Rovere
Pintor italiano (1561-1630)


Ficheiro:Mantegna Andrea Dead Christ.jpg
"Lamentação sobre Cristo Morto" - Andrea Mantegna
Pintor e gravurista renascentista italiano (1431-1506)



Derik van Derven
Pintor contemporâneo

Arquivo: Aveiro Março 2012-1a.jpg
O Cristo Morto com a Virgem Maria, São João Evangelista e Maria Madalena
Pintor desconhecido, pintura do século 18




8 comentários:

  1. Que lindo, Denise! As pinturas chegam a emocionar, e também a inspirar!
    As cenas reavivam em nós o caminho da Paixão de Cristo e nos fazem parar um pouco pra pensar nas "coisas do alto"!
    Que saibamos compreender o mistério da ressurreição e que, na prática da vida cristã, tenhamos um crescimento espiritual e uma nova conduta de vida.
    Feliz Páscoa a você e à sua família!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fátima!
      Sempre me incentivando e assim me animo a continuar com novos temas.
      Acho que as pinturas da Paixão de Cristo, do Nascimento de Cristo e
      da Anunciação do Anjo à Maria são as mais representadas em pinturas. São inúmeras.
      As pinturas da crucificação são marcantes e nos levam mesmo a pensar na vida espiritual.
      Feliz e Santa Páscoa para vocês também.

      Excluir
  2. E todo esse sacrifício foi por você e por mim...só mesmo o único Deus Misericordioso para ver o pecador e amá-lo assim! Maranata!

    ResponderExcluir
  3. A via Sacra Da Paixão de Cristo Neste site nos transporta a continuar amando a Cristo .Ele falava não, choreis por Mim ,mas choreis por vós mesmos .
    Meu Senhor, jogamos pesadas pedras em vos que tanto nos ama .somos ingratos .E vivemos a julgar-te Como Senhor e Cristo em Nossas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Mara. Todas estas pinturas contando a história de Jesus, reafirmam e reavivam em nós o que Ele passou por nós e seu amor incondicional.

      Excluir
  4. Impossível desistimos do Nosso compromisso primordial de filhos de Deus. permitimos que qualquer motivo exterior no inspire a sermos surdos e cegos .Veja a Mãe que chora vendo o seu filho morto e morto de cruz .Uma mulher humana Corajosa, humilde, fiel . Rezemos toda vez que nosso espírito se amargure ou seja incapaz de entender os designios de Deus .Amar sempre sem reservas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Mara,estas pinturas representam muito bem o sofrimento da mãe e filho, assim como a esperança de amor infinito.

      Excluir