Translate

28 de outubro de 2012

ARTE EM ILUSTRAÇÕES DO SACI DO FOLCLORE BRASILEIRO E O DIA DO HALLOWEEN







ARTE EM ILUSTRAÇÕES 
NO FOLCLORE BRASILEIRO
E O DIA DO HALLOWEEN ESTRANGEIRO


SACI




O SACI  - UM MITO BRASILEIRO


A importância da preservação e divulgação do folclore

O Brasil é culturalmente rico, com um diversificado folclore, com suas lendas e mitos.
Porém, é  necessária uma maior divulgação e um maior incentivo. Principalmente para as crianças participarem ativamente, desta cultura folclórica nacional, garantindo sua preservação para as futuras gerações.






Dia do Saci - 31 de Outubro

Com o objetivo de diminuir a importância da comemoração do Halloween no Brasil, foi criado em caráter nacional, em 2005, o Dia do Saci ( 31 de outubro). Uma forma de valorizar mais o folclore nacional, diminuindo a influência da cultura estrangeira em nosso país.



Música: "Saci-Pererê" - cantor: Jorge Ben Jor





Saci - Pererê, um "Duende" Brasileiro

"Antes de começarmos, cabe distinguir os duendes dos gnomos, muitas vezes confundidos por muitos estudiosos. A diferença entre os dois seres, elementais da terra, refere-se à sua classificação. Os gnomos designam diversos espíritos da natureza, do elemento terra. Geralmente são vistos conforme as características das vestes do gnomo europeu e de barbas. Os duendes são seres pequenos, de orelhas pontudas, brincalhões, espertos, cuidam da relva, dos arbustos, também do reino vegetal e mineral.


O papel dos elementais é manter o equilíbrio ecológico. As salamandras, elementais do fogo, controlam os incêndios. O Saci, duende, elemental da terra, cuida para evitar a depredação e as matanças desordenadas de animais. A Iara, elemental da água, cuida dos rios e lagos. As fadas, presentes em relatos e contos de encantamento, são os elementais do ar, com menor incidência em relatos acerca de seu papel ecológico.

Dentre os elementais brasileiros, presentes em nosso folclore, estaremos estudando um pouco mais o Saci-pererê, um duende brasileiro. O Saci-pererê é sem dúvida um dos seres dos mundos invisíveis mais populares do Brasil. De todos é provavelmente o que conseguiu se manter mais nitidamente como uma entidade benevolente, quando muito um tanto brincalhona, mas inofensiva.

Monteiro Lobato foi responsável pela popularização desse duende travesso. Em suas histórias, Lobato conta que os sacis nascem em “sacizeiros”, taquaruçus que ficam na parte mais espessa das florestas. Ficam sete anos dentro dos gomos antes de poderem sair, e depois vivem no mundo por 77 anos. Depois, viram cogumelos venenosos ou orelhas-de-pau. Nos taquaruçus eles se escondem durante o dia, já que o sol é seu maior inimigo. Segundo as próprias palavras do saci para Pedrinho, no livro de Lobato, eles não precisam aprender nada, pois já nascem sabendo tudo o que precisam. Às vezes são apresentados como possuindo furos no centro da palma das mãos".
fonte:  http://www.sosaci.org/historias/historia7.htm


Ziraldo, o grande cartunista brasileiro contemporâneo, também criou um característico Saci.



Outras ilustrações 


Lendas do Saci 
 José Lanzelloti (1926-1992)
Ilustrador brasileiro




Abaixo o logotipo do site "Só Saci" - sosaci.org - Sociedade dos Observadores de Saci
Da festa do Saci em São Luiz do Paraitinga - SP.












Quem é o saci?


"O Saci-Pererê é um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro.
Possuí até um dia em sua homenagem: 31 de outubro."

"Provavelmente, surgiu entre povos indígenas da região Sul do Brasil, ainda durante o período colonial (possivelmente no final do século XVIII). Nesta época, era representado por um menino indígena de cor morena e com um rabo, que vivia aprontando travessuras na floresta.


Ao migrar para o norte do país, porém, o mito e o personagem sofreram modificações ao receberem influências da cultura africana. O Saci transformou-se num  jovem negro com apenas uma perna, pois, de acordo com o mito, havia perdido a outra numa luta de capoeira. Passou a ser representado usando um gorro vermelho e um cachimbo, típico da cultura africana. Até os dias atuais ele é representado desta forma.



Quem primeiro 'publicou' o personagem, de forma brilhante na literatura infantil, foi o escritor Monteiro Lobato. Nas histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo, o saci aparece constantemente. Ele vive aprontando com os personagens do sítio. A lenda se espalhou por todo o Brasil quando as histórias de Monteiro Lobato ganharam as telas da televisão, transformando-se em seriado, transmitido no começo da década de 1950. O saci também aparece em várias momentos das histórias em quadrinhos do personagem Chico Bento, de Maurício de Souza".

 Fonte:  http://www.suapesquisa.com/musicacultura/saci-perere.htm





 O SACI de Monteiro Lobato
Escritor brasileiro
Nasceu em Taubaté (SP) em 1882 (f.1948) 




O Saci de Maurício de Sousa
Cartunista Brasileiro
Nasceu em Santa Isabel (SP) em 1935




Vídeo com desenho de animação "Tempo de Brincar"
Música: "Pererê" - Valter Silva



Vídeo: "Sítio do Pica Pau Amarelo" - O SACI
(Trecho de jan de 2010)



FELIZ DIA DO SACI














ARTE NO

DIA DAS BRUXAS

31 de Outubro




bruxas - Recados e Imagens (7270)



O Dia das Bruxas - O "Halloween" estrangeiro 

"O Hallowen é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base e origem as celebrações dos antigos povos. Embora a origem da palavra seja cristã, as raízes desta festa são pagãs, que originou-se com os povos celtas".

"Embora tenha chegado nos Estados Unidos da América, levada pelos imigrantes ingleses e irlandeses, em meados do século XIX, a história desta data comemorativa tem mais de 2.500 anos.
Foi na América do Norte,  a comemoração do halloween tornou-se mais representativa, popularizando-se e ainda teve um impacto significativo sobre a forma como o evento é observado em outras nações. Também estendendo-se para as demais américas.
A palavra "Hallow" significa consagrar ou reverenciar. E "Ween", significa desejar, crer. O significado vem do dia de "Todos os Santos" (All Saints Day) que é comemorado no primeiro dia de novembro, ou seja, o halloween é comemorado na noite na véspera.
A igreja realizava, tradicionalmente, uma vigília na noite anterior ao Dia de Todos os Santos, "All Hallow's Eve", para que os fiéis se preparassem com orações e jejum antes do dia da festa em si.
 A maioria dos estudiosos acredita que All Hallows 'Eve foi originalmente influenciado por europeus ocidentais festival da colheita e festival dos mortos, com raízes pagãs. A festividade tradicional do final da colheita era marcado pelo final da estação do verão e a preparação para o inverno." 


Música: "Night at Bald Montain"- "Uma Noite no Monte Calvo")
 de autoria de Modest Mussorgsky
Compositor russo (1839-1881)
Vídeo: "Fantasia" de 1940, filme de animação da Disney 





Samantha Lobben - Designer americana contemporânea



Cheryl Bartley - Pintora americana contemporânea



23 de outubro de 2012

PINTURAS MÍSTICAS - FADAS E BRUXAS EM ILUSTRAÇÕES







ARTE NAS PINTURAS COM 
FADAS E BRUXAS








As Fadas


Criaturas celestiais, 
folclóricas, místicas, mitológicas, mágicasfantásticas e guardiãs.

Estão relacionadas às fadas-madrinhas, as fadas do bem, que estão presentes nos contos e histórias infantis. Elas são as protetoras com suas "varinhas de condão", tornando tudo magicamente possível para os demais personagens das histórias. 

Desde os contos dos irmãos Grimm, até os tempos atuais, as fadas aparecem em vários tipos de arte, em filmes, livros, gibis, jogos de videos, etc...

Como em todas as histórias há sempre o bem e o mal, com um confrontando o outro, além das fadas do bem, há as bruxas do mal ou as rainhas más.



"As Fadas" - Gustave Doré - Pintor francês (1832-1883)





Música: "Dance of the Wild Faeries"
"Dança das Fadas Selvagens"
Gary Stadler e Wendy Rule 




"As Fadas do Prado" - Nils Blommer
Pintor sueco (1816-1853)

"Fada da Floresta" - Brian Froud
Ilustrador inglês contemporâneo

Josephine Wall
Pintora inglesa contemporânea



Música: "Immortality" - Celine Dion





"A Donzela da Lua" - Warwick Goble
Pintor e ilustrador inglês (1862-1943)

"Fada da Floresta" - Henry Meynell Rheam
Pintor inglês (1859-1920)

"Fada da Flor de Lavanda" - Cicely Mary Barker
Pintora inglesa (1895-1973)

"Fada do Lírio" - Luis Ricardo Falero
Pintor espanhol (1851-1896)






"Fadas no Berço" - Warwick Goble
Ilustrador inglês (1862-1943)

"Flores e Fadas" - Warwick Goble
Ilustrador inglês (1862-1943)

"Príncipe Arthur e a Rainha das Fadas"
 Henry Fuseli- Pintor suíço (1741-1825)





Em lendas, mitos e contos de fadas, as bruxas e as fadas são frequentemente tratadas como o inverso umas das outras, como imagens de espelho, invertidas.
Ambas são seres poderosas, predominantemente do sexo feminino, utilizando habilidades semelhantes: encantos, palavras mágicas e feitiços.
 Magia e Bruxaria feitos com bonecas foram muitas vezes interligadas durante os julgamentos de bruxas. 
Na antiguidade muitas mulheres foram acusadas de feitiçaria, porque conviveram com fadas. Na sociedade de hoje as fadas tornaram-se apenas personagens de contos. 
(Fonte: http://witchesweb.webs.com/fairies.htm )









Vídeo-Música: Fantasia - Fadas
"Suite Quebra-Nozes" - "Nutcraker" - Tchaikovsky
Filme de Animação da Disney





Música: "Pictures at an Exhibition" - Mussorgsky







AS BRUXAS


Jeff Simpson
Designer canadense contemporâneo

Francisco Goya
Pintor espanhol (1746-1828)

Arthur Wilde Parsons
Pintor inglês (1854-1931)



Música: "Sinfonia Fantástica - O Sábado das Bruxas" - Hector Berlioz
Compositor francês (1803-1869)





John Waterhouse
Pintor inglês (1849-1917)


John Waterhouse













bruxas - Recados e Imagens (7273)

20 de outubro de 2012

ARTES EM PINTURAS DOS CONTOS INFANTIS





A ARTE E OS CONTOS INFANTIS 


PARTE 2




A Arte Contando a História Infantil 

A arte em pinturas, músicas e filmes de animação dos 

personagens de duas histórias:

Chapeuzinho Vermelho e o Lobo - Branca de Neve e os Anões






CHAPEUZINHO VERMELHO 
E O LOBO (mau?)

"Chapeuzinho Vermelho e o Lobo"
Gustavo Doré - Pintor e ilustrador francês (1832-1883)




"Chapeuzinho Vermelho" é um conto de fadas europeu que narra a história de uma menina  e um lobo. 

A história foi mudando consideravelmente ao longo dos tempos. 
Como foi mostrado no "post" anterior, Charles Perrault, contista francês (1628-1703), foi um dos principais e mais antigos escritores de contos infantis. Ele lançou o novo gênero literário: os contos de fadas, baseando-se nas fábulas populares já existentes e nas histórias folclóricas.
 A história da "Chapeuzinho" foi publicada pela primeira vez por este grande contista, Perrault, em "Histórias e Contos dos Tempos Passados", em 1697. Era diferente da versão mais conhecida que foi reescrita pelos escritores irmãos Grimm. 
Na versão antiga o lobo conseguiu comer a menina e a história acabava ali mesmo. Sendo que o lobo era mau de "verdade" e não havia final feliz. E o mau lobo se dava bem. Pode? 
Estes contos ancestrais eram terríveis e nada se parecem com as versões mais "dóceis" que conhecemos. O próprio autor explicou que a moral do final desta história, era que a menina, não deveria falar nem dar atenção a estranhos. Neste  caso o estranho era o lobo disfarçado de carneirinho, manso e gentil. 
Enfim, a própria mãe e a avó aconselharam a menina, a "chapeuzinho", a nunca conversar com estranhos pelo caminho do bosque. Afinal, toda história infantil tem o lado bom e o mau, e no final sempre há moral da história.

Jessie Wilcox Smith



Abaixo uma música com fotos do Lobo Mau, do carneirinho e da Chapeuzinho Vermelho

Música: "Little Red Riding Hood" (Chapeuzinho Vermelho
Da banda de rock'n roll dos anos 60's
"Sam the Sham and the Pharaohs"
(Clique na seta para ouvir a música
e nas imagens para ampliá-las)



Arthur Rackham

Beatriz Martin Vidal
Pintora espanhola contemporânea

Melissa Jayne Rathbone
Ilustradora inglesa contemporânea

Amanda Grey

James Sant
Pintor inglês (1820-1916)

Jennie Harbour
Ilustradora inglesa (1893-1959)

Cheong-ah-Hwang
Ilustrador e artista coreano contemporâneo
 (arte com escultura em papel)

Iban Barrentxea
Ilustrador espanhol contemporâneo

Becca Thorne
Ilustradora inglesa contemporânea

John Everett Millais
Pintor inglês (1829-1896)

Gustave Doré
 Pintor e ilustrador francês (1832-1883)


George Frederic Wattz
Pintor inglês (1817-1904)



Nancy Morgan - Pintora americana contemporânea





Música: "Litlle Red Riding Hood" - nova versão
Amanda Seyfried (atriz e cantora)



Abaixo as Ilustrações do artista Walter Crane - ilustrador inglês (1845-1915)


Ilustrações de Capas de Livros Antigos



Os Contos - são histórias inventadas por alguém. Existem também os contos tradicionais que são aquelas histórias que ninguém sabe ao certo quem inventou e que são transmitidas de geração em geração e geralmente ficam conhecidas por algum autor que criou a sua versão da história e a reinventou.





~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~




BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES



A História da Branca de Neve teve sua origem na Alemanha. Igualmente com os demais contos populares e folclóricos, há várias versões da história. 
  A história era conhecida por "ouvirem contar", mas somente em torno de 1812, que os famosos irmãos Grimm compilaram e publicaram tornando o conto da "Branca de Neve" mundialmente conhecido. Assim como praticamente todos os demais contos infantis de origem européia.

Franz Jutner - Ilustrador alemão



Música: Nox Arcana - Contos de Fadas dos Grimm



Jennie Harbour
Ilustradora inglesa (1893-1959)


Majali Ilustrações

"Branca de Neve e a Maçã Envenenada"
Cyril Helnwein - Fotógrafo espanhol contemporâneo



Capas de Livros Antigos


Ilustrações de Walt Disney da "Branca de Neve"








Walt Disney, em 1937, produziu seu primeiro filme de animação de longa metragem da história do cinema, que foi "Branca de Neve".
 E também foi o primeiro produzido em cores e tornou-se o primeiro da série "Clássicos Animados" da Walt Disney.



Abaixo a música conhecida da introdução dos filmes Disney
  


Walt Disney em 1937 com os bonequinhos dos anões



 
 Num dia muito frio, uma bela rainha estava sentada perto da janela, bordando um lençol de nenê. Sem querer, ele espetou o dedo na agulha e caíram três gotas de sangue. Então a rainha olhou para fora e fez um pedido:
- Quero ter uma filha de pele branca como a neve que está caindo, cabelos pretos como a madeira desta janela e boca vermelha como o sangue que saiu do meu dedo.
Alguns meses depois, a rainha deu à luz uma menina do jeitinho que tinha pedido.
E resolveu chamá-la de Branca de Neve.
Dia e noite ela ficava do lado da filha, cuidando dela com muito amor e carinho.
Mas a rainha morreu antes de criar a filha como queria.
O rei chorou durante meses, até que conheceu uma princesa lindíssima e se casou com ela. A princesa só tinha beleza, porque o resto nela era só vaidade, orgulho e malvadeza. O dia todo ficava na frente do espelho, perguntando:
- Espelho, espelho meu, existe no mundo mulher mais bonita do que eu?



E o espelho, que era mágico, dizia:
- Não, rainha, você é a mais linda.
Enquanto a rainha conversava com o espelho,

Branca de Neve crescia bonita
como ela só, era de uma formosura que não tinha igual no planeta inteiro.
Tanto assim que um dia a rainha ouviu do espelho uma resposta que não esperava:
- Sim, existe outra muito mais bonita que você.
- E quem é essa atrevida? - perguntou ela.
- Branca de Neve!
Desde então a rainha que era má, começou ameaçá-la.

Branca de Neve com medo foi se refugiar na floresta,na casa dos sete anões.







Foi muito bem aceita pelos anões,
pois ela cozinhava, lavava e passava para os sete anõezinhos.
Todos eram felizes naquela casa.
Todos os dias como de costume os anões saíam para trabalhar e deixavamBranca de Neve cuidando da casa.

Enquanto isso a rainha preparava um plano mirabolante,


transforma-se na bruxa mais horripilante e má. . . .









De repente surpreendentemente aparece na janela uma velhinha pedindo água à Branca de Neve.
Ela muito boa recebe a velha e esta em agradecimento oferece à Branca de Neve uma maçã  pedindo a ela que dê uma mordida e faça um pedido.

Mal sabia ela que aquela velha era a  rainha, sua madrasta, aplicando-lhe o golpe fatal.






Infelizmente Branca de Neve não resistiu e caiu no sono da morte.


O anões chegaram, mas não conseguiram impedir que ela mordesse a maçã, mas conseguiram finalmente acabar com a bruxa, perseguiram-na até ela despencar em um penhasco, morrendo em seguida.



A tristeza toma conta dos anõezinhos.

Quando de repente um jovem aproxima-se de Branca de Neve, naquele sono profundo e lhe dá um beijo apaixonado.




Imediatamente Branca de Neve desperta do sono da morte e vai embora com seu príncipe, agradecendo aos anões por tudo que fizeram por ela.